17 de agosto: Cimi lança relatório anual de violência contra os povos indígenas

Com dados referentes a 2021, o documento reafirma e demonstra mais um ano de omissões, ofensiva contra direitos indígenas e ataques aos territórios e comunidades tradicionais.
cimi

Arte: Marina Oliveira/Cimi e Foto: Giulianne Martins/ComTxae

Em evento presencial com transmissão ao vivo pela internet, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) realiza o lançamento do Relatório Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – dados de 2021 na próxima quarta-feira, dia 17 de agosto, às 15h (horário de Brasília). A atividade será realizada na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e transmitida pelo canal de youtube do Cimi. A publicação apresenta um retrato das diversas violências e violações que são praticadas contra os povos indígenas em todo o país, organizadas em três capítulos principais e 19 categorias de análise.

A partir de fontes públicas e informações dos regionais do Cimi, de comunidades indígenas e de veículos de imprensa, o levantamento sistematiza dados relacionados a violações contra os direitos territoriais indígenas, como invasões e danos aos seus territórios; violências contra a pessoa, como assassinatos e ameaças; e violações por omissão do poder público, como desassistência nas áreas da saúde e da educação, mortalidade na infância e suicídios.

Nesta edição, os dados referentes ao ano de 2021 refletem a dura realidade enfrentada pelos povos originários no terceiro ano do governo de Jair Bolsonaro e no segundo ano da crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19, marcado por ofensivas contra os direitos constitucionais indígenas e por grandes mobilizações.

“Os dados registrados pelo presente relatório indicam que as diversas omissões do governo federal, e os muitos conflitos e situações de vulnerabilidade que delas decorrem, tiveram reflexos graves para toda a população indígena do país. O ano de 2021 foi marcado pela grande quantidade de vidas indígenas perdidas”, analisam Lucia Helena Rangel e Roberto Antonio Liebgott, organizadores do Relatório, na introdução da publicação.

“As invasões possessórias assumiram, neste ano, contornos dramáticos pela intensidade, continuidade, quantidade e pela imposição da força e da violência contra as comunidades dentro de seus próprios territórios”, apontam.

O lançamento contará com a presença de lideranças indígenas e representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Entre os confirmados: Dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da CNBB; Dom Roque Paloschi, presidente do Cimi e arcebispo de Porto Velho (RO); Antônio Eduardo Cerqueira de Oliveira, secretário executivo do Cimi; Lucia Helena Rangel e Roberto Antonio Liebgott, organizadores do Relatório.

 

Mais Informações:
Assessoria de Comunicação do Cimi
[email protected]
+55 61 99641-6256

 

Fonte: Release – Comunicação CIMI

INFORMAÇÕES DE CONTATO

Ana Lúcia Farias

COMPARTILHAR

Notícias Relacionadas

NEWSLETTER

NEWSLETTER

© Copyright Jesuítas Brasil – Preferência Apostólica Amazônia. Feito com por

NEWSLETTER

© Copyright Jesuítas Brasil – Preferência Apostólica Amazônia. Feito com por