Carta do CAC em agradecimento pelo Dia Nacional do Voluntariado

A data foi instituída pela Lei Nº 7.352, de 28 de agosto de 1985, e ressalta a importância do serviço solidário e participativo voluntário.
Voluntariado

Há 30 anos, o Centro Alternativo de Cultura – CAC  desenvolve nas periferias urbanas de Belém, e em comunidades ribeirinhas, quilombolas, indígenas e assentadas, processos educativos humanizadores, transformadores e emancipatórios. Ele atende crianças e adolescentes, famílias, lideranças comunitárias, e educadores populares voluntários, possibilitando o fortalecimento da autonomia e da cidadania dos mesmos, baseando-se na Educação Popular Freiriana e na Pedagogia Inaciana para a defesa da vida e promoção da justiça socioambiental.

Neste dia Nacional do Voluntariado, 28 de agosto, o CAC torna pública sua Carta de Agradecimentos pelo serviço e doação de tantos homens e mulheres que apoiam a sua missão. Confira abaixo a carta na íntegra.

 


Carta de Agradecimento pelo Dia Nacional do Voluntariado

 

“O amor consiste mais em obras do que em palavras”
Santo Inácio de Loyola

 

Prezada colaboradora e prezado colaborador,

Que esta mensagem te encontre com saúde e disposição para a luta em defesa e garantia dos direitos das crianças e adolescentes da Amazônia.

O Centro Alternativo de Cultura – CAC é um centro social vinculado à Rede de Promoção de Justiça Socioambiental dos Jesuítas do Brasil, presente na Amazônia. E nesta região, assume a missão de dinamizar processos educativos humanizadores, transformadores e emancipatórios, em vista do empoderamento, da autonomia e do direito de brincar, de crianças e adolescentes.

Neste mês dedicado ao voluntariado, nós da equipe gestora do CAC reconhecemos que nossa missão só é realizada completamente devido à presença e participação de homens e mulheres que se põem a serviço, conscientes de que, ser voluntário(a) é uma forma potente de participação e transformação social e um caminho pelo qual independentemente de escolaridade, religião, cor, condição financeira ou física, se pode fazer a diferença ante as contradições sociais.

Na certeza de que ser voluntária(o) é participar efetivamente da luta por uma sociedade humanizada, com menos injustiça, violência e desigualdade e contribuir na construção de um lugar melhor para si e para a sociedade, viemos expressar nossa imensa gratidão às educadoras e educadores populares que, a partir de suas realidades, anseios e disponibilidade contribuem diretamente com processos formativos e atividades lúdico-pedagógicas para o fortalecimento de vínculos e a garantia de um presente seguro, igualitário e brincante para crianças e adolescentes.

Queremos agradecer na mesma intensidade o voluntariado de homens e mulheres que mensalmente contribuem com doações financeiras, possibilitando a realização dessas atividades nas comunidades e a formação das educadoras e educadores populares voluntários.

Ao assumir o voluntariado como educadora e educador popular ou como contribuinte, você fortalece a certeza de que o CAC e os Jesuítas têm cumprido a tarefa de “Caminhar com os pobres, os descartados do mundo e os vulneráveis em sua dignidade em uma missão de reconciliação”; e de “Colaboração no cuidado da Casa Comum” como orienta as Preferências Apostólicas Universais da Companhia de Jesus.

Te convidamos a continuar caminhando conosco na defesa e garantia dos diretos das crianças e adolescentes da Amazônia.

Receba nossas orações e gratidão.

Feliz dia da(o) voluntária(o)!

 

 

 Quer ser um voluntário contribuinte do CAC?

>>> Clique no banner da Campanha.

Campanha Adote uma comunidade

 

Fonte: Equipe do CAC

  • INFORMAÇÕES DE CONTATO

    Ana Lúcia Farias

    COMPARTILHAR

    Notícias Relacionadas

    NEWSLETTER

    NEWSLETTER

    © Copyright Jesuítas Brasil – Preferência Apostólica Amazônia. Feito com por

    NEWSLETTER

    © Copyright Jesuítas Brasil – Preferência Apostólica Amazônia. Feito com por