Crianças colombianas perdidas na floresta amazônica são encontradas após 40 dias

Elas estavam desnutridas, com muitas picadas de mosquitos pelo corpo, mas passam bem.
Imagem - Divulgação das Forças Armadas da Colômbia | Crianças colombianas desaparecidas

Imagem - Divulgação das Forças Armadas da Colômbia | Encontro das crianças desaparecidas

As Forças Armadas da Colômbia, que empreendiam as buscas pelas crianças colombianas desaparecidas, informaram, na noite dessa sexta-feira (9), que elas foram encontradas com vida, após se perderem na floresta amazônica ao sofrerem um acidente aéreo. As crianças de 13, 9, 4 e 1 ano estavam desaparecidas desde o dia 1º de maio.

avião monomotor que caiu - cianças colombianas desaparecidasElas viajavam com seus pais e decolaram no monomotor Cessna 206 da cidade de Araracuara com destino a San Jose del Gaviare. Mas, próximo a região onde o avião iria pousar foi emitido um alerta de falha no motor e logo depois a aeronave desapareceu dos radares. Além das crianças, estavam a bordo três adultos que não sobreviveram a queda.

Os pequenos, todos irmãos, pertencem a comunidade indígena Muiname e vivem nas proximidades dos rios Cahuianarí e Araracuara, na Amazônia colombiana. O bebê, que à época tinha 11 meses, completou no último dia 26 de maio, na selva, o seu 1º ano de vida

De acordo com um dos militares responsáveis pelas buscas, a família que estava no avião fugia dos dessidentes do acordo de paz entre o antigo grupo guerrilheiro Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e o governo.

As equipes de resgates envolvidas estavam apoiadas por cães farejadores e mais de 70 indígenas da região. Durante as buscas, encontraram frutas mordidas – que as crianças teriam comido para sobreviver – além de fraldas, pegadas, caminhos de mata mexida e abrigos improvisados com plantas. Esses vestígios foram fundamentais para persistirem pela procura das vítimas que deixavam sinais que estavam vivas.

A região da selva onde o avião caiu não havia estradas por perto e de difícil acesso por rio. Foram mais de 1.250 quilômetros por mata densa.

No início da madrugada deste sábado (10), as crianças colombianas chegaram à capital Bogotá e passaram por exames e tratamento médico, pois encontram-se em estado de desnutrição, desidratação e com lesões de picadas de mosquitos.

 

Registros das Redes Sociais:


 

INFORMAÇÕES DE CONTATO

Felipe Moura

COMPARTILHAR

Notícias Relacionadas